quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Vereador do PT mineiro diz:


DEBATE NESTA SEXTA-FEIRA NA GLOBO

DEBATE NESTA SEXTA-FEIRA NA GLOBO

​Caros Amigos (as)​

 JOGO
​POLÍTICO ​
SUJO É ISSO!!!
O Lul​la​ não tem limites. Agora ameaça jornalistas da Globo. O intuito deste facínora é estabelecer no Brasil um regime nos moldes da Venezuela. É o sonho dourado da quadrilha liderada por ele. Para isso conta com uma imensa legião de inocentes úteis.
​ ​
Vejam o texto. Ele citou nominalmente Willian Bonner e Miriam Leitão num discurso de ódio feito ontem em São Paulo

Todos sabem que a eleição pode ser decidida no debate da próxima sexta-feira, na Rede Globo. A audiência será recorde e o mau desempenho de um dos candidatos poderá fazer com que ele perca dois a três por cento dos votos, o que será fatal nesta eleição tão disputada.

Por isso, depois de ofender a mãe de Aécio dizendo que ela não deu uma "educação de berço" para o filho, depois de chamar Aécio de "bêbado", "drogado", "playboyzinho" e "filhinho de papai", depois de mentir de forma insana sobre a família e o caráter de um político cujo único crime é querer ser Presidente da República, ontem Lula atacou diretamente a imprensa.
Abaixo, um trecho do artigo escrito hoje em seu blog pelo jornalista Ricardo Noblat:
Lula foi além, ontem à noite, do limite da irresponsabilidade.
Em comício ao lado de Dilma em Itaquera, distrito da Zona Leste da capital paulista, ele falou mal da imprensa – até aí nada demais. É direito dele. E nada tem de original.
Mas a certa altura do seu discurso, ele citou os nomes dos jornalistas Miriam Leitão, do jornal O Globo, e de William Bonner, apresentador do Jornal Nacional da Rede Globo de Televisão.
Daqui para frente é a Miriam Leitão falando mal da Dilma na televisão, e a gente falando bem dela (Dilma) na periferia. É o (William) Bonner falando mal dela no “Jornal Nacional”, e a gente falando bem dela em casa. Agora somos nós contra eles - ameaçou Lula. 
As cerca de cinco mil pessoas reunidas para escutá-lo foram ao delírio. Mais tarde, no teatro da Universidade Pontifícia de São Paulo, no bairro de Perdizes, Lula voltou a criticar a imprensa. E a citar Míriam Leitão e a Rede Globo. 
Não dá para afirmar que ele tenha bebido antes de discursar. Aparentava estar sóbrio. Dilma e líderes do PT que testemunharam os discursos de Lula sorriram com o que ele disse. Certamente não pensaram numa coisa – e se pensaram não deram importância.
A saber: Lula expôs dois jornalistas à ira dos seus seguidores fanáticos.
Com Lula, nada é por acaso. O objetivo é um só: constranger o mediador do debate, colocando o eleitorado do PT contra ele. Se Dilma for interrompida porque estourou o tempo, a culpa será de Willian Bonner. Se Dilma tiver um desempenho pífio, as suas deficiências serão creditadas a um golpe da Globo e do apresentador, que a deixaram nervosa e pressionada. A partir de ontem, Bonner está desafiado a provar, sendo mais duro com Aécio, que não está contra Dilma. Pelo menos este é o objetivo de Lula, com o seu ataque ao jornalista.
Por trás disso tudo, que não é um episódio, é uma campanha, está a meta de Lula de implantar o controle social da mídia, a exemplo dos países que fazem parte do Foro de São Paulo. Destruída a oposição, por uma máquina de assassinar reputações, o último passo será calar a Imprensa. Ontem Lula deu nome aos bois. Em várias oportunidades, nos últimos meses, ao conceder longas entrevistas aos blogs patrocinados pelo governo, de onde são propagadas as piores calúnias contra Aécio Neves, já havia feito referências semelhantes.
L
​u​
la deixa muito claro aonde quer chegar.  Infelizmente, se Dilma vencer estas eleições, alcançará seu intento. As redações são majoritariamente bolivarianas e apoiarão. Os colunistas que ainda opinam contra o governo, estes serão dizimados. As empresas de comunicação serão perseguidas e varridas do mapa. A Venezuela e a Argentina moram ao lado. Só não enxerga quem não quer.

​" ACORDA BRASIL "​

Dia do Aviador


Eleições 2014








Prezado(a) Senhor(a) Integrante da Família Verde Oliva (Militar da ativa, inativo, servidor civil e pensionista),


1. Informo a VExa/VSa que o Exército Brasileiro encontra-se  em fase de implantação do novo Sistema de Pagamento do Pessoal (SIPPES), tornando o sistema mais preciso e rápido.

2. O SIPPES usará os dados cadastrados na Base de Dados Corporativa de Pessoal (BDCP), que é alimentada por meio do Sistema de Cadastramento de Pessoal do Exército (SiCaPEx).

3. Considerando o ineditismo da atividade, torna-se imperioso que os dados pessoais estejam atualizados. Dados incorretos e a falta de CPF poderão gerar erros no pagamento.

4. Assim, solicitamos a VExa/VSa que procure pessoalmente, no mais curto prazo possível, a sua Organização Militar ou o Órgão de Pagamento de Inativos e Pensionistas para atualização de dados.

5. O empenho de todos e a precisão das informações cadastradas constituem-se nos pilares de um sistema confiável.
http://www.dgp.eb.mil.br/index.php/eventos-do-dgp/283-campanhasicapexsipes

GOVERNO NÃO COBROU AINDA O RESSARCIMENTO DO MENSALÃO

GOVERNO NÃO COBROU AINDA O RESSARCIMENTO DO MENSALÃO
O julgamento do mensalão foi concluído, os condenados foram presos, alguns dos detentos progrediram do regime semiaberto para a prisão domiciliar e até já estourou um novo escândalo na praça, o petrolão. Tudo isso sucedeu em um ano e meio. E o governo não moveu até o momento nenhuma ação judicial para reaver o dinheiro roubado, devolvendo-o aos cofres públicos.
Ampliar

Veja os condenados do mensalão que foram presos 70 fotos

25 / 70
16.nov.2013 - A ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello embarca no jato da Polícia Federal na base área da Pampulha, em Minas Gerais, rumo a Brasília, na tarde deste sábado. Os condenados do mensalão deverão cumprir pena na capital federal Leia maisReprodução/Globo News

No último final de semana, Dilma Rousseff recitou para os repórteres uma posição que combinara com o marketing de sua campanha sobre o escândalo da Petrobras, espécie de mensalão 2, hipertrofiado. “Farei todo o meu possível para ressarcir o país”, disse ela, antes de admitir, pela primeira vez, a existência de crime. “Se houve desvio de dinheiro público, nós queremos ele de volta. Se houve, não. Houve, viu?.''
Diante do ímpeto de Dilma, o blog decidiu verificar que providências o governo da candidata à reeleição adotou no caso do mensalão. Vai abaixo resumo da encrenca. Percorrendo-o, você perceberá que, confrontadas com um caso concreto, as palavras de Dilma perdem o sentido:
1A nota da AGU: no dia 14 de dezembro de 2012, a Advocacia-Geral da União divulgara nota na qual prometera cobrar dos condenados do mensalão o ressarcimento das verbas que saíram pelo ladrão.
“…Os advogados públicos aguardam o acórdão do STF, fixando o ressarcimento, para iniciar a atuação”, dizia o texto. Preventivamente, a AGU cogitava requerer o bloqueio de contas, o sequestro e a penhora de bens, “para evitar o esvaziamento do patrimônio” dos condenados e “garantir que as quantias sejam restituídas à União”. E nada.
2O acórdãoO resultado do julgamento do mensalão foi publicado pelo STF em 22 de abril de 2013. Nesta quarta-feira, a publicação completa um ano e meio. No dia seguinte, na saída de um encontro com Henrique Eduardo Alves, presidente da Câmara, o ministro Luís Inácio Adams, advogado-geral da União, foi espremido pelos repórteres. E o ressarcimento? “Vou ver os embargos de declaração'', disse ele, realçando a necessidade de aguardar o julgamento dos últimos recursos a que tinham direito os 25 condenados.
Isso não é um expediente protelatório?, quis saber um repórter. E Adams: “Não é protelatório porque os embargos de declaração são um instrumento de esclarecimento do acórdão. Se isso vai resultar ou não em procedência, a Corte é quem tem que decidir. As ações da AGU, nós vamos analisar em cima do que foi publicado a possibilidade de tomar alguma medida de imediato.” E nada.
3A situação atual: procurada, a Advocacia-Geral da União informou ao blog que já decidiu buscar “o ressarcimento de recursos públicos que, segundo o STF, foram desviados da Câmara dos Deputados na gestão do ex-deputado João Paulo Cunha”, hoje um dos petistas que compõem a bancada da Papuda.
Em valores da época do escândalo, os desvios da Câmara foram orçados em R$ 1,32 milhão. A cifra foi malversada por meio de contrato de fancaria firmado com uma das agências de publicidade de Marcos Valério, a SMP&B. A Advocacia da União informa que aguarda informações requisitadas ao TCU para agir.
Obtidos os dados, a “AGU e o Ministério Público junto ao TCU atuarão em parceria para a efetiva devolução do dinheiro desviado.” Quando? Não foi informado. E quanto ao resto do dinheiro? Bem, “quanto aos recursos desviados do Visanet, a atuação caberá ao próprio Banco do Brasil e ao Ministério Público Federal.”
4O Fundo Visanet: o repórter apurou no STF que, seis dias depois das prisões dos primeiros mensaleiros condenados, a área jurídica do Banco do Brasil requisitou ao então ministro Joaquim Barbosa cópia da íntegra do processo do mensalão. Manifestava a intenção de reaver os R$ 73,8 milhões que seu ex-diretor de Marketing, o petista Henrique Pizzolatto, desviara da cota do BB no fundo Visanet para o esquema operado por Marcos Valério.
Sem hesitações, Barbosa repassou cópia dos autos em 25 de novembro do ano passado. Mas o Banco do Brasil até hoje não moveu a ação judicial. Por quê? A casa bancária estatal informou ao blog que, de fato, “solicitou cópia da Ação Penal 470 ao STF para estudar as medidas judiciais cabíveis para a salvaguarda de seus direitos.” De posse do material há quase um ano, o ex-empregador de Pizzolatto, hoje preso na Itália, informa:
“Diante da complexidade do processo, que é um dos mais volumosos já apreciados pelo Judiciário brasileiro, o BB destacou uma equipe de advogados específica para analisar o processo e implementar a estratégia processual que confira a necessária segurança jurídica aos interesses do Banco, a partir da análise das 8.400 páginas do acórdão e das 60 mil laudas dos autos que compõem os 295 volumes e mais de 500 apensos, incluindo diversos laudos periciais de elevada complexidade.”
Quando será protocolada, afinal, a ação destinada a reaver o dinheiro? Eis a resposta oficial: “A decisão do Banco do Brasil é promover a ação ressarcitória com a brevidade possível.”
5O montante: Ex-presidente do STF, Carlos Ayres Britto comandou a grossa maioria das sessões de julgamento do processo do mensalão. Antes de se aposentar, ele estimou em R$ 150 milhões as verbas drenadas de cofres públicos. Fez isso a partir de uma soma de cifras extraídas dos autos.
Somando-se a verba surrupiada na Câmara ao dinheiro desviado do Visanet, chega-se a R$ 75,12 milhões. Ainda que se adicione a esse valor mais R$ 2,9 milhões em verbas publicitárias do BB que, segundo o Supremo, foram apropriadas indevidamente pela DNA Propaganda de Marcos Valério, o montante fica longe dos R$ 150 milhões citados por Ayres Britto. E não há no governo quem se preocupe em refazer essas contas.
6O petrolão: no escândalo que derrama óleo queimado sobre a logomarca da Petrobras, há duas Dilmas. Uma, a presidente, sustenta que “não sabia” da existência da quadrilha que desviava 3% dos bilionários contratos da maior estatl brasileira para os bolsos de políticos e as arcas do PT e de legendas aliadas. Outra, a candidata, faz pose de gestora rigorosa.
“Tomarei todas as medidas para ressarcir tudo e todos”, disse a Dilma-candidata na entrevista que concedeu no final de semana passado. “Mas ninguém sabe ainda o que deve ser ressarcido. A chamada delação premiada, onde tem os dados mais importantes, não foi entregue a nós.''Verdade. Mas a papelada do mensalão está toda sobre a mesa. E nada.
A demora dos subordinados da presidente em agir no caso mensalão tornam sem nexo a pressa da candidata no escândalo do petrolão. Fica demonstrado, uma vez mais, que dinheiro público roubado do cofre é como pasta de dente que sai do tubo. Colocar de volta é tão difícil quanto desfritar um ovo.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

DEUS é Brasileiro...... Onde quem não trabalha fica milionário em 4 anos.


Cresce o número de milionários nas Assembleias Legislativas do país


Milionários - estaduais
O número de deputados estaduais milionários cresce a cada eleição. Levantamento feito pelo G1deus É  bRASIELIRO com base nos dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que 375 políticos eleitos para as Assembleias Legislativas declaram um patrimônio superior a R$ 1 milhão, mais de um terço do total.

Nas eleições passadas, eram 297 parlamentares milionários; em 2006, 205.
O patrimônio médio dos eleitos também é maior hoje: R$ 1,446 milhão (contra 1,039 milhão em 2010). Apesar disso, há 55 deputados que declaram não ter bem algum em seus nomes.
O deputado estadual mais rico do país é o empresário Zeca Viana (PDT-MT). Ele declara possuir R$ 87 milhões em bens, entre fazendas, terrenos, veículos diversos e quotas de aeronaves.
Bancadas
Entre os partidos, o que mais tem milionários é o PMDB: 67. Logo depois vem o PSDB, com 43. O DEM, com 32, o PDT, com 27, e o PSD e o PT, com 24, o PP, com 20, o PR, com 18, e o PTB e o PSB, com 17, completam a lista dos dez mais.


Por estado
São Paulo e Minas Gerais concentram o maior número de milionários: 39 cada um. Bahia contará com 27, o Rio de Janeiro, com 23, e o Paraná, com 22.

Em 2015, o PMDB ocupará o maior número de cadeiras no país. Veja as composições de todas as Casas.

Por Rosanne D'Agostino e Thiago Reis